sexta-feira, 16 de maio de 2008

...À SOMBRA

Pairam no ar aromas de Primavera
aromas de rosas, de flores silvestres.
Dentro de mim, embrulhado neles,
mão na mão
caminha o aroma dos ciprestes.

Entontecida
vou abraçar o sol
matar a sede num regato
apanhar um pézinho de alecrim.

Deito-me na terra a olhar o céu
canto baixinho uma balada
beijo em sonhos um querubim.

Pairam no ar aromas de Primavera.

Vou inspirá-los um a um
das rosas às flores silvestres
e acolher-me consolada
à sombra protectora dos ciprestes.

Maripa

8 comentários:

  1. Que lindo lugar!

    Somos mesmo almas irmãs!
    Vibramos na mesma onda... a tua poesia tem tanto da minha!
    Sentimos a magia dos indeléveis sentidos...
    Sabe bem, viver assim!

    Abracinho muito terno

    BIA

    ResponderEliminar
  2. Mais um miminho!

    De vez em quando, caio desta dimensão, como já percebeste...mas acredita, mesmo assim, continuo a afirmar convicta, que a vida é uma invenção fantástica, e que vale a pena apreciar todos os seus ângulos!

    Abracinho "fraternurento"

    BIA

    ResponderEliminar
  3. Lindo! Quase deu para cheirar os aromas primaveris.

    Um beijo enorme

    ResponderEliminar
  4. a felicidade inspira-se no seu verso
    abraço

    ResponderEliminar
  5. menina

    que bonito!

    tambem eu quero abraçar o sol.

    beij

    ResponderEliminar
  6. E eu posso ir contigo deitar-me na terra?...depois acolher-me à sombra?
    Lindo este teu poema!!
    Eu e o Mar
    Tu e o Mar
    Jinhos mil

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.