quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

FALA-ME DO MAR...




Senta-te ao meu lado...
Vem ver comigo os papagaios de papel
subir até ao céu das cassiopeias.

Fala-me do mar...
Das esquinas de luz nas águas de Neptuno,
dos recifes de coral,
do cântico das sereias.

Fala-me do ir e vir dos barcos,
do vento que levou os papagaios de papel
e não os trouxe mais.

Não me fales do horizonte que nos foge
nem dos tempos que estão para chegar.

Fala-me do mar...


Maripa

imagem de Norberto Martini

22 comentários:

  1. Eles não falam, Maripa. Não falam, não.

    boa noite e tens resposta lá

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Bom dia, amiga. Agora posso ouvir a música mais à vontade. Julinha já não está ao lado a dormir.

    Como sempre é linda e me faz voar como as borboletas lá de casa.

    beijos e hoje apareceu um Sol tímido. Talvez tenha vindo atrás ds borboletas.

    ResponderEliminar
  4. e que melhor do que se falar do mar...de preferência...no mar
    beijos e bom ano amiga e deixa-me dizer que está uma ternura na foto

    ResponderEliminar
  5. Falar do mar, respirar poesia, sentir amor, estar aqui saboreando letras da doce Maripa.

    lindos dias querida flor
    beijos

    ResponderEliminar
  6. Ao ler este magnífico poema lembrei-me de Sophia de Mello Breyner Andresen, para quem o mar sempre foi a saudade trazida, na vida há muito levada.

    "Quando eu morrer, voltarei para buscar, os instantes que não vivi junto do mar."

    Belo este momento.

    Um beijo enorme

    ResponderEliminar
  7. Que lindo Maripa!
    Acho que você quem nos fala desse mar de Amar!
    Um beijo carinhoso

    ResponderEliminar
  8. Fala-me do mar...é tudo, é tanto!
    Lindo...

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  9. Dorme bem, Maripa, ainda que tão tarde...

    beijos doces

    ResponderEliminar
  10. Tão belo o poema como a imagem que o ilustra.
    Um bom ano para ti, Maripa.

    ResponderEliminar
  11. Belas palavras e um blogger especial em matéria de sentimentos... Gostei muito da música também.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  12. Um maravilhoso texto com a cor do sal...


    Doce beijo

    ResponderEliminar
  13. Maripa,

    antes de mais gostei muito de te conhecer.
    Depois amiga, o horizonte se soubermos sonhar podemos toca-lo
    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Querida Maripa

    Que a areia se estenda até aos sonhos...
    Que o mar que vai e volta, seja um novo dia azul de cheiros a sal
    Que os papagaios de papel soltos ao vento tragam boas novas de quem sabe amar...o amor do mar.

    Tem um presente por lá...espero que goste.
    Beijinhos salgados...
    Mariz

    ESPAVO!

    ResponderEliminar
  15. Errata: onde se lê: ..."seja" um novo dia azul"...
    Devia ler-se: ..."TRAGA"... UM NOVO DIA AZUL"

    ResponderEliminar
  16. ________________________________

    ...talentosa cantora dos mares!

    Mais um belo canto que nos embevece...

    Beijos de luz e o meu carinho!!!

    ___________________________________

    ResponderEliminar
  17. Carinho e cheiro de mar procê minha doce.

    lindos dias flor querida
    beijos

    ResponderEliminar
  18. Talvez a nova semana tenha dificuldades, ainda assim haverá alegrias...
    Talvez a nova semana tenha preocupações, ainda assim haverá soluções...
    Talvez a nova semana traga alguns atritos, ainda assim trará o desafio do aprendizado do convívio...
    Talvez não seja exatamente como a queremos, mas podemos nos surpreender e alegrar com o que nos trará.
    Tomemos a nova semana com disposição de vivê-la do melhor jeito, de abraçar a parte feliz e de aprender com o que contrariar a nossa expectativa.
    Tenhamos boa vontade com a nova semana e um sentimento de profunda gratidão à vida.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  19. (...)Senta-te ao meu lado...
    Vem ver comigo os papagaios de papel
    subir até ao céu das cassiopeias.


    Papagaios de papel...posso soltá-los contigo???
    Lindo o teu poema!
    O Mar e Eu
    Tu e o Mar

    ResponderEliminar
  20. Ao ler este teu poema senti-me transportada, como que num sonho, para o reino da Atlântida. Lindo!

    ResponderEliminar
  21. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.