terça-feira, 10 de março de 2009

GANHAR ASAS


Ganhar asas
sair da penumbra em busca de novos sóis.

A noite está azul.
Reflexos da lua desenham em mim
arabescos de prata.

Desfeitas as nuvens do peito
a chuva são lágrimas
com a maciez das pétalas
e o sabor doce das framboesas.

Ganhar asas
esvoaçar como as borboletas
morar com o riso dos anjos
numa casa
janelas escancaradas
e luzes acesas.

Renascer num sol qualquer
de coração em brasa.


Maripa

Imagem de Daniel Merriam

19 comentários:

  1. Sempre vejo minhas asas como uma maneira de renascer. Seu poema é lindo demais! Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Ganhar asas e voar livre. Belo poema de esperança e determinação.
    Um beijo , Maripa.

    ResponderEliminar
  3. Linda e leve esta sua poesia.
    Um voo de esperança, rumo a um novo dia, a um novo tempo.

    Vou-lhe mandar convite via e-mail para o meu blog.
    Gostaria muito que o visitasse.


    Deixo beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Asas que trato com carinho, minha liberdade, meu caminho.

    lindo dia flor querida
    beijos doces

    ResponderEliminar
  5. Ganhar asas e coabitar com a luz dentro de nós. O mais possível...
    Belo poema cara amiga, continua a bater as tuas asas e a dar-nos luz nas tuas palavras.
    Gostei imenso.
    Bom resto de semana, beijo.

    ResponderEliminar
  6. Sobre seu comentário lá em casa, deixei resposta que trago:

    54 anos de união?
    Minha doce flor, que maravilha está me dizendo...bodas de ouro, parabéns, eis a razão desse encantamento, sua doçura, seu tanto de [a]mar.
    Estou mais apaixonada por você, rsss
    beijos querida Maripa e mais uma vez, parabéns ao casal pela completude.

    ResponderEliminar
  7. Olá Maripa

    Foi o acaso que me trouxe ao seu cantinho.
    Vi que é de Coimbra.
    Tenho lá os meus pais.
    Gostei do que vi.Adoro poesia.
    Parabéns! O seu blog é fantástico!
    Voltarei, brevemente.

    Bjs

    Lisa

    ResponderEliminar
  8. Um poema muito bem escrito cheio

    de sã sensibilidade feminina!


    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Entendo cada palavrinha que escreveste. Estou voltando a conhecer o sabor das framboesas. Não tivesse eu já todas as pitangas...

    beijos de boa noite Maripa

    ResponderEliminar
  10. Lindíssimo!
    Recomeçar, sempre...

    abraço,
    E.

    ResponderEliminar
  11. um poema leve, cheio de magia e cor.

    faz.nos sentir bem...

    beij

    ResponderEliminar
  12. ganhar asas que percorram céus in.temporais. para chegar aqui. na permanência de um espaço de palavras sublimes.

    belíssimo.

    um bom fim de semana.

    um beijo.

    ResponderEliminar
  13. Olá Maripa

    Amei vê-la no meu blog.

    Os meus pais moram em "Montes Claros" na rua Nicolau Chanterenne.

    Vou lá com frequência!
    Pela Páscoa lá estarei!
    No blog tenho poesias de autoria de meu pai.
    A última foi um "cantiga de amigo".

    Desculpe...falar "escrever"...tanto.

    Bjs

    Lisa

    ResponderEliminar
  14. *
    belo
    ,
    um sol da noite
    de acesas luzes,
    ,
    abrasadas conchinhas, envio,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  15. Saudades de estar aqui e aproveitar tão belas palavras. Sempre é tempo de volver.

    Agora em nova fase.

    ResponderEliminar
  16. Maripa:

    Lindo e delicado, como tudo o que vem de você. Voe, voe alto, e leve a todos os sóis a beleza que de você emana.
    Beijos

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.