segunda-feira, 13 de abril de 2009

COMO PINTAR O SOL TODAS AS MANHÃS



Como pintar o sol todas as manhãs
no jardim onde florescem os lírios
se tenho as mãos vazias
de certezas
e de versos?

Sonho, tão-somente, versos obscuros,
versos lua nova.
Não versos quarto crescente
- a aspergir luar -
acalentados pelo som das harpas
dos anjos com brilhos de mistério
e asas de papel.

Papel de seda... de seda
para vestir e amaciar o tempo
de pintar o sol no tempo dos lírios.

Amaciar o tempo das mãos vazias
e da tristeza à flor da pele.

Maripa

Imagem de Olbinski

23 comentários:

  1. Nas voltas do mundo entrei aqui no seu blog. Gostei do que vi e vou voltar para aprender a amaciar o tempo das mãos vazias e da tristeza à flor da pele.
    Um grande beijinho,
    Maria Emilia

    ResponderEliminar
  2. Desperto encostado á escura noite
    Na velha e dura calçada do relento…
    Na cama onde a chuva é açoite,
    Agasalho-me com lençóis feitos de vento!

    Grato sempre pela
    Bem-vinda visita
    E comentário!
    Uma boa semana,
    No abrigo da paz
    E do amor!

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderEliminar
  3. Tão lindo e tão suavemente triste, Maripa, esse tempo dos lírios.

    Enquanto as suas mãos estiverem plenas de poesia nunca as sentirá verdadeiramente vazias.

    Momentos de nostalgia e de vazio, todos nós temos.

    Beijinho, minha amiga ***

    ResponderEliminar
  4. Este vazio que é tanto de tudo, afinal...

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. Um pouco triste, o seu poema.

    Se florescem os lírios... então pinte mesmo, as manhãs com o Sol!

    Daqui lhe envio beijinhos (muitos)

    ResponderEliminar
  6. Pinte as manhãs com seu sorriso e seu olhar de alegria, anime o sol com seu otimismo e o dia será perfeito.

    lindos dias flor querida
    beijos

    ResponderEliminar
  7. Não acredito que o tempo seja das mãos vazias. Não quem assim escreve.

    boa noite, amiga, e fica bem.

    ResponderEliminar
  8. as mãos podem estar vazias mas quem escreve poesia assim, tem sem sempre a alma repleta de Luz
    xi
    maria de são pedro

    ResponderEliminar
  9. Mãos vazias minha mãe? Quando as tem sempre tão cheias de amor?

    Um grande beijo nessas mãos tão lindas.

    ResponderEliminar
  10. pintar o sol em nós para amaciar essa tristeza
    beijos

    ResponderEliminar
  11. _________________________________

    Você traz as mãos plenas de versos e o coração abençoado pela poesia... Jamais estará vazia!

    Lindíssimo poema...Parabéns!

    Beijos de luz e o meu especial carinho...

    _________________________________

    ResponderEliminar
  12. (...)Papel de seda... de seda
    para vestir e amaciar o tempo
    de pintar o sol no tempo dos lírios.

    Amaciar o tempo das mãos vazias
    e da tristeza à flor da pele.


    Lindo como sempre!!!
    Um beijo de ternura
    Eu e o Mar
    Tu e o Mar

    ResponderEliminar
  13. O sol de cada manhã, é sempre uma partícula de beleza do nosso quadro sonho...

    Deixa as flores crecerem e as cores acontecerão naturalmente...em fios de seda poema.

    Beijinho muito amigo

    ResponderEliminar
  14. as tuas mãos nunca estarão vazias.

    um poema nostalgico, mas bonito na mesma.

    fica um beij

    ResponderEliminar
  15. Que tuas mãos se encham de poesias repletas de amor! Pois vazias elas com certeza nunca estarão!

    Belas palavras...

    Beijos!

    ResponderEliminar
  16. Com tão bela poesia
    Jamais tuas mãos
    estarão vazias
    vazias de amor
    de solidão
    Porque a poesia aquece
    O coração!...

    Beijinho da laura..

    ResponderEliminar
  17. "...se tenho as mãos vazias
    de certezas
    e de versos?"

    ... às vezes "pinta-se" melhor sem certezas pois estas até podem ser bastante limitativas. E os versos, esses nunca te hão-de escassear :-)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Ah doce amiga, sem certezas e sem versos? Mas você tem toda uma caixa de lápis de cor para pintar o seu sol, nas cores que quiser! Sabe como eu sei? Quem poetisa como você, já nasce colorindo a vida de quem a cerca!
    Beijos! Lindo poema!

    ResponderEliminar
  19. *
    Que belo poema !!!
    ,
    qual vazio . . .
    as tuas mãos estão
    cheias de tudo,
    ,
    eu também quero
    pintar o sol
    de manhã, á tarde,
    e á noite,
    não, não estou louco,
    eu vejo o sol nocturno,
    entre, harpas, liras, citaras
    e um violino no telhado,
    e com um ou outro gato
    em telhados de Zinco,
    desculpa Erico Veríssimo,
    olhai os lírios da Maripa . . .
    ,
    Um jino de amizade, deixo,
    ,

    ResponderEliminar
  20. Olá Maripa

    Obrigada pela palavras sempre gentis que deixas no meu blog.

    O pensamento de Leonardo da Vinci, não o conhecia, mas é belo...lindo.
    Fiquei com ele!

    Quanto ao teu poema, achei-o melancolico,mas suave! Amei!

    Bjs

    Lisa

    ResponderEliminar
  21. Gostei de todo o poema, mas
    "pintar o sol no tempo dos lírios"
    é um verdadeiro achado poético.
    Parabéns por mais este belo poema cara amiga.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  22. Passei para cobrir as tuas mãos e a tua pele de beijinhos, milhões de beijinhos... Andas tristonha, minha irmã guerreira. Eu sinto isso.... não sei... Ânimo Maripa... andamos só de passagem. Não vale a pena a tristeza. Eu sei que me entendes. Sorri para tudo o que tens, porque tu tens tudo. Todos temos tudo.

    Beijinhos de Amor e Luz!

    ResponderEliminar
  23. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.