segunda-feira, 27 de abril de 2009

O VENTO QUE POR MIM PASSA


O vento que por mim passa
[e devassa o pensamento]
diz-me que posso trepar
ao mais alto dos montes
e agarrar com as mãos
a poeira das estrelas.

Diz-me que posso descer
ao mais fundo dos mares
e plantar um jardim.

Mas como
se me dói cada hora
cada minuto cada segundo
se me dói sonhar de asas abertas
se me dói o eco dos meus passos
neste tempo do quase florir das giestas?

Maripa

Imagem de Anke Merzbach

13 comentários:

  1. Olá Maripa

    Amei o poema!

    Como é bom deixarmo-nos levar pelos sonhos!...ao sabor do vento!


    Bjs

    Lisa

    ResponderEliminar
  2. Quem sabe se quando florirem as giestas, deixe de doer tanto.

    boa tarde Maripa

    ResponderEliminar
  3. O vento da primera traga o perfume das flores para vc

    bjs

    ResponderEliminar
  4. O vento tem razão. Podes agarrar a poeira das estrelas. Ela está em cada um dos teus versos.
    Um beijo, Maripa, com amizade.

    ResponderEliminar
  5. O vento que passa e oferece o odor das flores do jasmim que tens na tua poesia.

    Beijinhos ;)

    ResponderEliminar
  6. "Diz-me que posso descer
    ao mais fundo dos mares
    e plantar um jardim."

    Fosse eu arquitecto....e cumpriria este desejo...face á beleza expressa!

    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  7. Vai e escuta, segue essa voz do vento sul perfumada de giestas!

    Lindo poema saído de uma alma sensível e plena de talento!

    Beijinhos,

    Clotilde

    ResponderEliminar
  8. Agora sou eu quem pergunto: estás bem?

    beijos

    ResponderEliminar
  9. Que esse vento passe e seu jardim floresça minha doce querida.

    Lindos versos, linda você.

    Perdoe ausência minha.

    lindo dia flor
    beijos

    ResponderEliminar
  10. ______________________________


    ...o vento não mente, poetisa!

    Você pode sim...Acima das dores, estão os sonhos que nos elevam...


    Lindo!!!


    Beijos nesse coração tão especial e inspirado...

    Zélia
    (Mundo Azul)

    _______________________________

    ResponderEliminar
  11. (...)Mas como
    se me dói cada hora
    cada minuto cada segundo
    se me dói o sonhar de asas abertas
    se me dói o eco dos meus passos
    neste tempo do quase florir das giestas?

    Lindo, lindo o teu poema Maripa querida,Beijos
    Eu e o Mar
    Tu e o Mar

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.