quarta-feira, 22 de abril de 2009

A UMA CEREJEIRA EM FLOR


Acordar, ser na manhã de abril
a brancura desta cerejeira;
arder das folhas à raíz,
dar versos ou florir desta maneira.

Abrir os braços, acolher nos ramos
o vento, a luz ou o que quer que seja;
sentir o tempo, fibra a fibra,
a tecer o coração de uma cereja.


Eugénio de Andrade

Imagem da Net

12 comentários:

  1. Olá Maripa!
    Este poema me emocionou... As cerejeiras me lembram pessoas queridas como meu avô. Quando nasci, ele ficou emocionado ao me ver pela primeira vez e disse que eu me parecia com a flor da cerejeira (cor de rosa) que havia em seu pomar (olhos de avô , claro!). Desde então me chamava de flor de cerejeira e isto me marcou demais!
    Um beijão!

    ResponderEliminar
  2. Olá Maripa.

    Amei o poema!
    Senti ternura!

    A imagem é bela!

    Bjs.

    Lisa

    ResponderEliminar
  3. Cerejeira em flor
    Atavio de amor
    Responso da manhã
    Quando o dia nasce
    E está lá o amor !...

    Aqui e agora...
    Bom dia Maripa, cerejeiras em flor, fazem-nos sentir que a vida é linda e o amor pode ser encontrado logo ao virar da esquina...Bonita Poesia.
    Andamos a ver se vamos a Lisboa no dia 2, eu e a nina Lisa, do blogue Cristal. Já há ninas que vão, nem sei d eond eés, se fores de perto, olha, pois, bora para nos abraçarmos a todas... d etarde.no livro da Ana, mãe d eum menino autista.é no Parque Eduardo Vll... ..Beijinho da laura..

    ResponderEliminar
  4. Maripa, minha amiga

    Há poemas assim, com aromas e sabores e sonhos de poetas.

    Mais uma escolha belíssima, excelentemente guarnecida pela imagem.

    Muitos beijinhos,

    Clotilde

    ResponderEliminar
  5. São assim os poemas de Eugénio de Andrade. Com a brancura dessa cerejeira, com o ardor do vento e da luz. Magnífico poeta que hoje nos deixas. Obrigada, Maripa.
    Um beijo com amizade.

    ResponderEliminar
  6. os abraços de eugénio de andrade são ternurentos... gostei muito, maripa!


    deixo um beijo (em botão)
    luísa

    ResponderEliminar
  7. Já todos sabem da minha perdição por cerejas...

    Gosto muito das rosadas e suculentas da Gardunha...

    Conjugar a poesia de Eugénio de Andrade, com esse florir da cereja, é tão doce...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. __________________________________

    vinte e cinco de abril de dois mil e nove
    __________________________________

    e porque são sei dizer melhor e se soubesse não saberia dizer assim, digo que,

    "Há uma Justiça para ricos e outra para pobres, uma Justiça para famosos e outra para anónimos, como há Saúde e Educação diferentes para ricos e pobres. Cumprir Abril é uma questão de justiça. Já não podemos esperar mais 35 anos".

    Paulo Baldaia

    ______________ para reflexão [...]

    ResponderEliminar
  9. ... está a ver o filme "capitães de abril" e grita... liberdade, melancia! vitória...


    convite:
    http://bananaouchocolate.blogspot.com

    beijos com aroma de cravo
    luísa

    ResponderEliminar
  10. Abrir a alma à vida e despertar em manhã de Abril.

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Eugénio de Andrade... a Saudade sublimada pelas palavras que nos deixou.

    Beijo e grata pela partilha

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.