quarta-feira, 25 de novembro de 2009

CONVITE



Não sou a areia
onde se desenha um par de asas
ou grades diante de uma janela.
Não sou apenas a pedra que rola
nas marés do mundo,
em cada praia renascendo outra.
Sou a orelha encostada na concha
da vida, sou construção e desmoronamento,
servo e senhor, e sou
mistério.



A quatro mãos escrevendo este roteiro
para o palco de meu tempo:
o meu destino e eu.
Nem sempre estamos afinados,
nem sempre nos levamos
a sério.



Lya Luft


Imagem: Airi Pung

12 comentários:

  1. Adoro a Lya Luft,ela assim como você, consegue dar vida as palavras que expressam os sentimentos latentes na alma.

    Um beijo carinhoso

    ResponderEliminar
  2. Olá Maripa

    A incerteza de quem somos, mas a certeza de que um certo mistério nos envolve.

    Bjs com carinho.

    Lisa

    ResponderEliminar
  3. _________________________________


    Eu já conhecia esse poema de Lya Luft! Acho lindo e pleno de significado...

    Obrigada, querida poetisa, pelo presente!!!

    Beijos de luz e o meu carinho MUITO ESPECIAL!

    ________________________________

    ResponderEliminar
  4. Querida amiga eu já nem sei se o destino é mesmo para ser levado a à sério! Ele nos prega cada partida!

    beijos e precisávamos (agora mais que nunca) de outra tarde como aquela. O mundo continua azul!

    ResponderEliminar
  5. um poema bem escolhido assim como a foto.

    bom fim de semana!

    beij

    ResponderEliminar
  6. Olá amiga!
    É bom ser ouvido de ouvir, olho de olhar.Nas pequenas coisas somos grandes. Lia estava inspiradíssima quando o escreveu e você escolheu muito bem!
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  7. . nem sempre . porque ora somos construção . ora somos des.moronamento . de re.construção . na passagem dos dias .

    . um beijo meu, Maripa .

    . um bom Domingo .





    . paulo .

    ResponderEliminar
  8. "o meu destino e eu.
    Nem sempre estamos afinados,
    nem sempre nos levamos
    a sério."

    Não será precisamente porque a maioria de nós não está afinado com o seu destino que nos perdemos de nós próprios??

    Lindo este poema que escolheste para postar.

    Bjinhos :-)

    ResponderEliminar
  9. Maripa,

    Cada imagem, cada poesia em seu blog é um encanto.

    Não sei se porque o mar também me atrai muito, mas o seu blog é particularmente prazeroso a minha alma!

    Aproveito para sugerir que visite o blog http://fotoinscena.blogspot.com/

    Um grande abraço,

    Viviane

    ResponderEliminar
  10. *
    sou
    o convite explanado . . .
    ,
    brisas serenas,
    ,
    *

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.