sexta-feira, 29 de abril de 2011

ECOS



Ecos de ti, sob o canto dos grilos,
em campos de orvalho e de erva-doce
nas esteiras do milho onde dormimos

deixaste num rasto coisas não ditas
que o tempo fará remedeio
entre a vida e um eco, de permeio

ecos de ti, sob cores de Maio,
em estradas percorridas de centeio
nas bermas, e apenas, no meio
o calor de noites já vividas.

Lua nova e amores desabridos
que me aquecem os sentidos
em campos de orvalho e de milho
sob um cheiro d'erva-doce.



Leonor de Saint Maurice

Imagem da internet

1 comentário:

  1. Olá Maripa

    Recordações de um amor vivido...

    Obrigada pela partilha.

    Bjs.

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.