segunda-feira, 28 de setembro de 2015

MUITAS VEZES EM SETEMBRO




Muitas vezes em setembro o sol abre o dia.
As horas espalham-se mornas sobre a pele
aquecem a memória supostamente fria...


Incendida e impetuosa  mostra as  palavras "luz  amor vida" gravadas  na caixa de música florida que foi nossa. Conta que a melodia que fazia dançar a bailarina como nuvem solta no ar , tinha deixado de se ouvir. Que  as palavras entristeceram e nunca mais foram felizes e assim , numa vertigem se desmoronaram. Que as letras, soltas e sós, sem fulgor nem sonho para as incentivar a unir-se, abraçaram e beijaram o rosto húmido da bailarina num adeus sem regresso. Conta que agora, dos olhos sem brilho, lágrimas lhe caem no colo como furtivas canções de outono...


Muitas vezes nas tardes de setembro adormeço
recostada na cadeira de baloiço e tenho sonhos.

Acordo, recordando a bailarina  a melodia
a caixa de música há tanto tempo partida...

                                            ...acordo e estremeço.



Maripa

Imagens Google







7 comentários:

  1. mas que o sonho seja bom!
    e deixo um beijo
    :)
    boa semana.
    :)

    ResponderEliminar
  2. Pois, querida Pi, preciso de sonhos bons...
    ...todos necessitamos deles, mas dos que nos alegram e fazem bem.

    Beijinho carinhoso e boa semana. :)

    ResponderEliminar
  3. Minha querida amiga, as tardes melancólicos de outono convidam ao sono e quando adormecemos as memórias confundem-se com os sonhos.
    Desejo sinceramente que os seus sonhos futuros não a façam estremecer.

    Um beijinho com carinho e amizade

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fê querida, foi um estremecimento de saudade...
      As memórias, de vez em quando, chegam devagarzinho e surpreendem... coisas do fundo baú do tempo que vêm ao de cima e nos fazem acordar.

      Beijinho carinhoso, minha amiga.

      Eliminar
  4. Bailarina de corda na caixinha de som... É bom regressar às memórias da infância.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. É bom, sim, faz regressar a tempos de infância e reencontrar a criança,que muitos de nós ainda guardamos dentro.

      Beijo com carinho, amiga Graça.

      Eliminar
  5. Boa noite
    Passei pelo teu cantinho para te dar a conhecer o meu modesto espaço de poesia.
    Espero que gostes. Um abraço, Ana Pereira
    http://almainspiradora.blogspot.pt/

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.