terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

SER GENTE



Por muito que anseies
pelo porto de abrigo,
sabes que é ao largo do mar,
no centro da tempestade,
que atinges o teu tamanho.
Para além do medo do que é incerto
e do medo de não seres capaz,
estão as vagas vencidas pelo teimar,
está a rota por onde cresces,
em direcção ao norte,
a caminho do sol,
ou de ser gente.


Vasco Pontes

Imagem: Marina Cano

3 comentários:

  1. Olá Maripa

    Eu preciso de um porto de abrigo...

    Bjs.

    Lisa

    ResponderEliminar
  2. Cada momento no teu cantinho, é porto de abrigo contra o cinzento dos dias.

    Lindíssimo poema de um poeta que não conhecia!
    Um beijo com ternura.

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.