terça-feira, 15 de abril de 2008

MAR MEU


Mar meu


Pudesse eu
prender entre os dedos
os suspiros do mar
e distribuí-los
às crianças.

Pudesse eu
acariciar com os dedos
a suave brisa das ondas
e sentir cabelos
de crianças.

Pudesse eu
sentir nos dedos
o beijo das espumas
e ouvir risos
de crianças.

Pudesse eu
tocar com os dedos
o sono do mar
e embalar os olhos
de crianças.

Pudesse eu
ter entre os dedos
belas conchinhas
e fazer colares
p´rás crianças.

Oh, mar meu!
Porque esperas?
Porque não dás?
Porque não sentes?
Porque não ouves?

..............

excerto de um poema de Xanana Gusmão

3 comentários:

  1. Lindo...não conhecia este poema de Xanana!!!Tem tudo a ver connosco(posso dizê-lo assim?)!!!!
    Adorei, e não imaginas como gostei que me comentasses, assim o mar, a gruta, uni-nos...volta sempre!E, eu...eu também voltarei!
    Jinhos grandes

    Bonita a foto, o mar...e tu?

    ResponderEliminar
  2. Querida Maripa!

    Gostei tanto de ti que vou criar um link do teu blog no meu. Espero que não te importes! Gosto de pessoas que amam a vida, que tentam praticar o Amor Incondicional, que são seres de luz fantásticos e positivos como tu, minha querida Maripa.

    Beiijinhos de boa noite cheios de Amor, Paz e Luz!

    ResponderEliminar


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.