sábado, 21 de junho de 2008

VAZIO

Todo o mar nos meus olhos, e não basta!
Enche-os mais uma lágrima furtiva...
Neste banquete azul, há um só conviva
farto e feliz.
É o céu, que se debruça sobre as ondas
sem amargura.
É ele, que não procura
por detrás da verdade outra verdade.
Serenamente, lá da eternidade,
bebe e come
a imagem reflectida do seu nome.

Poema de Miguel Torga

3 comentários:


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” disse Antoine de Saint-Exupéry.

Grata pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dar-me um pouco do seu tempo, deixando um pouco de si através da sua mensagem.